Página principal Módulo 1 Módulo 2 Módulo 3 Módulo 4

O século de Camões - XVI - considera-se o século de ouro da nossa Literatura, na qual se introduziram géneros novos e os já existentes adquiriram nova forma de expressão. e, entretanto, a língua portuguesa atingia uma fase de grandes desenvolvimento e consolidação.

A vida de Camões decorre entre 1524 (possivelmente) e 1580...

Actividade 1

Vai a esta página e pesquisa sobre a época em que viveu Camões, a vida e alguns aspectos autobiográficos e elabora um dossier ilustrado com gravuras alusivas aos momentos ou factos mais marcantes na vida de Camões.

Outra página a visitar.

Elabora uma síntese das mudanças económicas, sociais e culturais que os Descobrimentos provocaram em Portugal.


Influência Tradicional

                              Corrente tradicionalista (Medida Velha)

                              Corrente renascentista (Medida Nova) 

Em Camões coexistiu a poesia com sabor tradicional, com uma poesia cujos modelos formais e temáticos revelam a cultura humanística e clássica do poeta.

Assim, e por influência tradicional escreveu vilancetes, cantigas, esparsas, trovas, ...

Fez uso da medida velha e cultivou o verso de cinco sílabas métricas (redondilha menor) e de sete sílabas métricas (redondilha maior). As temáticas tradicionais e populares usadas por Camões são, o amor, a natureza, o ambiente palaciano e a saudade.

Da influência clássica Renascentista, Camões cultivou a medida nova fazendo uso do verso decassílabo, através da composição poética, o soneto (composto por duas quadras e dois tercetos) introduzido em Portugal por Sá de Miranda.

Nas temáticas de influência Renascentista cultivou o amor platónico, a saudade, o destino, a beleza suprema, a mudança, o desconcerto do mundo, a mulher vista à luz do Petrarquismo e do Destino.

Cantiga Alheia

 

Mote

Na fonte está Lianor
Lavando a talha e chorando,
Às amigas perguntando:
- Vistes lá o meu amor?

 

Voltas

Posto o pensamento nele,
Porque a tudo o amor obriga,
Cantava, mas a cantiga
Eram suspiros por ele.
Nisto estava Lianor
O seu desejo enganando,
Às amigas perguntando:
- Vistes lá o meu amor?

 

O rosto sobre ua mão,
Os olhos no chão pregados,
Que, do chorar já cansados,
Algum descanso lhe dão.
Desta sorte Lianor
Suspende de quando em quando
Sua dor; e, em si tornando,
Mais pesada sente a dor.

 

Não deita dos olhos água,
Que não quer que a dor se abrande
Amor, porque, em mágoa grande,
Seca as lágrimas a mágoa.
Despois que de seu amor
Soube novas perguntando,
De improviso a vi chorando.
Olhai que extremos de dor!
 

Actividade 2

 

Após leitura atenta da cantiga, responde às seguintes questões:

1. Indica o tema e o seu desenvolvimento.

2. Divide o poema em partes, justifica devidamente a tua resposta.

3. Procede ao levantamento dos sentimentos expressos e das sensações sugeridas.

4. Analisa a linguagem e estilo.

5. Faça a análise formal.

6. Considera as duas frases que se seguem. Constrói uma frase complexa que estabeleça uma comparação.

A mentira merece o castigo.

a sinceridade merece o perdão.

 

Proposta de resolução:

1- A temática presente neste poema é a coita de amor pelas saudades do amigo. O poeta desenvolve esta temática colocando Lianor no centro de todo o sofrimento amoroso. Ao longo do poema o poeta apresenta esta figura feminina sofredora, capaz de transformar o canto em suspiros "Cantava, mas a cantiga
Eram suspiros por ele"
e quanto mais saudades mais mágoa e dor.

Na 1ª estrofe Lianor com o pensamento e o desejo enganados vai perguntando às amigas se viram o seu amor por quem o seu coração suspira.

Na 2ª estrofe Lianor com os olhos pregados no chão, cansados de tanto chorar, suspende a sua dor mas quando consciente sente essa dor ainda mais pesada.

Na 3ª estrofe, Lianor em grande mágoa recusa abrandar a dor. Esta mágoa só terá abrandamento quando souber novas do seu amor.

2- Este poema pode ser dividido em duas partes:

A 1ª parte correspondente à 1ª volta (ou estrofe), onde se apresenta Lianor a cantar de dor pela ausência do seu amado. A 2ª parte corresponde à 2ª e à 3ª estrofe onde se descreve o estado de espírito de Lianor.

3- Os sentimentos presentes no poema são:Tristeza “…a cantiga eram suspiros por ele.”, engano “…o seu desejo enganado.”, saudade “Viste lá o meu amor?”; “Posto o pensamento nele”, dor “… suspende de quando em quando a sua dor”, tormento “Mais pesada sente a dor.”, mágoa “…em mágoa grande”. As sensações expressas são essencialmente de sofrimento, saudade e mágoa.

4- A linguagem é simples com expressões tradicionais ao gosto popular, muito próximo dos cantares de amigo. Há a salientar a hipérbole no último verso da 2ª estrofe (”Mais pesada sente a dor.”), o uso do gerúndio," chorando, perguntando, enganando, lavando" a marcar o prolongamento dos sentimentos expressos. 

5- Quanto à análise formal estamos em presença de uma cantiga formada por um mote de 4 versos onde se apresenta o tema e 3 voltas de 8 versos cada onde se faz o seu desenvolvimento. Quanto à rima ela é emparelhada e interpolada do tipo a/b/b/a em todo o poema. Quanto à métrica estamos em presença de uma redondilha maior formada por versos de 7 sílabas “Na /fon/te es/tá /Li/a/nor/”; “La/van/do a /ta/lha e /cho/ran/do”. 

6-A mentira merece o castigo assim como a sinceridade merece o perdão.


Mote

Se Helena apartar
do campo seus olhos,
nascerão abrolhos.

Voltas

A verdura amena,
gados que paceis,
sabei que a deveis
aos olhos d' Helena.
Os ventos serena,
faz flores d' abrolhos
o ar de seus olhos.
Faz serras floridas,
faz claras as fontes...
Se isto faz nos montes,
que fará nas vidas?

Trá-las suspendidas,
como ervas em molhos,
na luz de seus olhos.
Os corações prende
com graça inumana;
de cada pestana
uma alma lhe pende.
Amor se lhe rende
e, posto em giolhos,
pasma nos seus olhos.

Actividade 3

 

1. Indica a temática presente neste vilancete.

2. Procede à caracterização dos olhos de Helena.

3.  Caracteriza a natureza.

4. Que relação se estabelece entre os olhos de Helena e a natureza?

5. Refere-te à estrutura formal do poema.

Influência Clássica Renascentista

Um mover de olhos, brando e piedoso,
Sem ver de quê; um riso brando e honesto,
Quase forçado; um doce e humilde gesto,
De qualquer alegria duvidoso;


Um despejo quieto e vergonhoso;
Um repouso gravíssimo e modesto;
Ũa pura bondade, manifesto
Indício da alma, limpo e gracioso;


Um encolhido ousar; ũa brandura;
Um medo sem ter culpa; um ar sereno;
Um longo e obediente sofrimento;


Esta foi a celeste fermosura
Da minha Circe, e o mágico veneno
Que pôde transformar meu pensamento.

 

Actividade 4

 

1. Indica o tema e o seu desenvolvimento.

2. Refere-te ao retrato da mulher.

3. O que causa perturbação ao poeta?

4. Destaca os elementos estético-estilísticos presentes no poema.

5. Analisa formalmente o poema.


 
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.
O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.
E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

 

 

 

 

 

 

 

Actividade 5

1. Identifica o tema e o seu desenvolvimento.

2 A mudança exerce-se, quer no mundo em que o poeta se inclui quer nele próprio.

2.1 Refere os efeitos dessa mudança no mundo e na natureza. Justifica com frases do texto.

2.2. Identifica as repercussões dessa mudança no sujeito poético e nos seus sentimentos.

3. Atenta nos tercetos.

3.1 Indica os aspectos da linguagem e do estilo que contribuem para a valorização estética deste poema.

3.2. Classifica morfologicamente as palavras destacadas:

E, afora este mudar-se cada dia,

Outra mudança faz de mor espanto:

Que não se muda já como soía.

 
4. Procede à análise formal do soneto:
4.1. Indica o esquema rimático.
4.2. Classifica as rimas da primeira quadra:
a) quanto à acentuação;
c) quanto às classes gramaticais das terminações ou frequência de uso;
d) quanto aos elementos vocálicos e consonânticos das terminações.
4.3. Faz a escansão do verso 4.
4.4.4 Classifica-o quanto ao número de sílabas métricas e quanto à posição das sílabas tónicas.
 

Produção escrita

O tema da mudança é um tema recorrente na literatura.
Produz um texto onde fales sobre a mudança.